domingo, 25 de maio de 2008

Quando o corpo pede um pouco mais de alma

Impressionante como ouvir a música certa no momento certo - acompanhada de uma cerveja e de fumaça - pode nos fazer refletir tanto. Preciso disso, de calma, de alma, de tempo, não viver mais na pressa.
Cada dia que me levanto é um desafio - enfrentar as pequenas batalhas diárias, as sociais, as profissionais e, após o resultado das duas primeiras, as psicológicas, sempre mais pesadas. Viver sempre me foi um desafio - mas agora, além do desafio de viver, tenho o de organiza-la. E para isso me falta tempo, me sobra pressa, me falta a valsa.
A tempos não atualizo o blog. Me falta tempo. Não sei a quantas anda minha vida pessoal. Me falta tempo. Tenho problemas para resolver a quase uma ano. Me falta peito. Tenho problemas pra resolver a algumas semanas. Me falta alma.

Segundo Poema da Barba(A falha)

Dizem que minha barba é falha
Por causa da ansiedade.
Meu nervoso sistema emite
Uma mensagem que expande
e enibe.

A sua não sei, mas é prêmio a minha.
Quando era certo, a toda tinha,
mas quando me perdi no meio,
e meio que não sabia,
uma falha surgiu na barba
até um meio surgir na vida.

Gabriel Riva

---------------------------
Primeiro poema do francês de um semestre

Ah, C`est belle la vie,
Je ne parle pas des français
Mais je connaître d`amour!

Un, deux, trois, quatre
Quel est la bonne choix pour s`embrasse?

Gabriel Riva

Um comentário:

Analice Alves disse...

gostei muito da poesia, a primeira. quando você me disse que sua barba é falha, eu quase falei isso: é ansiedade! mas achei melhor não arriscar. Explicado o seu sumiço, está sem tempo pras coisas da alma, pra mim, lógico! to brincando. vê se aparece pra gente resolver a situação do blog. não tem problema aceitar o depoimento...já falei isso? rs Um beijo e boa semana (tenta não enfiar a cabeça numa coisa só, não se entregue!). Adoro-te, rapaz.