segunda-feira, 6 de abril de 2009

Azar e sorte

Qual o preço de uma boa poesia?

É Vida que Segue

É vida que segue!
Sem meu grande amor
sinto o cheiro da poeira
sinto a dor no meu joelho,
Não mudei quase nada desde que me deixou,
É vida que segue!

É o segundo que se foi, e pra não me sentir sozinha
Jogo um papo fora, e tomo uma cervejinha
vejo tudo passar bem de pertinho,
Porque sem meus dois amores
É vida que segue


Vejo os livros na estante, e nossos porta-retratos
Um sorriso amarelo foi o que restou
E Pra não aumentar a dor
eu levo tudo de mansinho,
Eu choro e rezo pro meu senhor,
E é vida que segue!

É vida que segue!
Sem meu grande amor
sinto o cheiro da poeira
sinto a dor no meu joelho,
Não mudei quase nada desde que me deixou,
É vida que segue!

Deixei o seu quarto quase intacto
E seus livros na estante
Não mexei nos nossos porta-retratos
pra não sentir rancor!

Porque é o segundo que se foi
e Sem meus dois amores
fico assim meio que triste, fico assim meio que quieta,
Outro ano se passou...
Mas é vida que segue!

Gabriel Riva

2 comentários:

rodrigo oabc disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
rodrigo oabc disse...

cara... é muito legal ver os amiguinhos cada vez melhores ^^

mas eu achei a repetição de "E é vida que segue" um pouco exagerada, pareceu um pouco forçada uma vez ou outra...